quinta-feira, 29 de julho de 2010

GONÇALVES - São Martinho do Candoso - Guimarães

DESCENDÊNCIA
Pais de Salvador Gonçalves de Abreu
Avós de Violante de Abreu
Bisavós de Maria de Abreu
Terceiros Avós de Catarina Dias
Quartos Avós de Antonio Dias
Quintos Avós de Frutuoso Dias
Sextos Avós de Manuel de Abreu
Sétimos Avós de Sebastião José de Abreu
Oitavos Avós de Maria Ignácia da Conceição
Nonos Avós de Custódia Maria de Aguiar
Décimos Avós de Cecília Maria Brandão
Décimos Primeiros Avós de Manoel Torquato de Gouvêa
Décimos Segundos Avós de Zélia Borges de Gouvêa
Décimos Terceiros Avós de Maria Stella de Gouvêa Nunes
Décimos Quartos de Anamaria Nunes Vieira Ferreira
***
Assim, António de Abreu seria neto paterno de Francisco Fontes e de sua mulher Violante de Abreu, senhores do casal do Outeiro, bisneto de Salvador Gonçalves [de Abreu] e de sua mulher Joana da Silva, terceiro neto de Pedro Gonçalves, senhor do casal do Outeiro e de sua mulher Isabel de Abreu.

Pedro Gonçalves e Isabel de Abreu constituem o tronco comum de uma interminável linhagem de Abreus que povoaram toda a região vimaranense e, por via da emigração, as colónias, com especial destaque para o Brasil.

Rui Faria
Universidade do Minho

1. PEDRO GONÇALVES. Senhor do Casal do Outeiro. Nascido por volta de 1490.
Caro Miguel Pimenta,
O casal e casa Outeiro a que me refiro situam-se na freguesia de São Martinho de Candoso, Guimarães, uma das casas mais ricas da região, no séc.XVI, e os seus proprietários dos principais da terra. Relativamente à sua existência actual desconheço se a unidade agrária e a casa ainda sobrevivem.

É nesta casa que no início do séc. XVI encontramos o apelido Abreu, não sabemos se daí originário, ou provindo através de um enlace matrimonial. O que sabemos é que as propriedades da família se estendiam muito além da área paroquial, nelas se incluindo pelo menos uma habitação no burgo vimaranense, o que dará a entender que um dos conjugues, Pedro Gonçalves ou Isabel de Abreu, poderia ser daí originário; talvez Isabel de Abreu, que na sua viuvez se recolheu na vila onde havia casado uma filha.

Relativamente aos Cantos posso adiantar-lhe que um sexto avô de Maria da Rocha era parente próximo, talvez irmão ou primo de João Anes do Canto, pai de Pedro Anes do Canto o Açoriano. Tenho informação que presentemente se desenvolvem esforços no Brasil, no sentido de publicar um trabalho sobre estes Cantos “de que ninguém canta”, porque ofuscados pelo sucesso do Açoriano, mas cujas gerações se fixaram na então colónia.
Ainda sobre os Abreus como poderá reparar alguns dos nomes inscritos neste tópico pertencem à sua geração como é o caso de José Joaquim de Abreu, reverendo cónego secular evangelista, provido na coadjutoria e meia prebenda do reverendo Manuel dos Reis da Costa Pego, cónego capelão.

Por mais que uma vez entronquei na sua geração, a primeira porque descende do Casal de Cima de Selho em São Torcato por via de António José Gomes, filho de António Gomes da Silva e de sua mulher Senhorinha de Oliveira, casado com Dona Rosa Luísa Fernandes de Meireles e Bragança, natural do Casal da Lerdeira, freguesia de Santa Maria de Atães, Guimarães, que trazia sangue dos Meireles de São Pedro de Cete, por via, salvo erro, de uma neta ou bisneta de António de Meireles e Maria Nogueira.

Cumprimentos,
Rui Faria

Casado com ISABEL DE ABREU, nascida por volta de 1490. Foram Pais de:

2. SALVADOR GONÇALVES DE ABREU. Nascido por volta de 1510.

Filho de Pedro Gonçalves e Isabel de Abreu.
Francisco Fontes e Violante de Abreu, casal cuja descendência difundiu o apelido Abreu por toda esta região, e através a emigração, pelos quatro cantos do mundo.
Violante de Abreu era filha de Salvador Gonçalves e de sua mulher Joana da Silva.
Desconhecemos qual dos pais de Violante carregava o apelido.

Rui Faria

Casado, por volta de 1530, com JOANA DA SILVA, nascida por volta de 1510. Foram Pais de:

2.1 Violante de Abreu que segue.

2.2 Salvador Gonçalves. Na dúvida. Natural de Selho, São Lourenço. É possível que fosse alfaiate como consta da certidão de batismo de João Dias, filho de André Dias, viúvo de sua provável sobrinha Maria de Abreu, e 3ª mulher Antonia Fernandes. Casado, em 18 de Março de 1596, com Senhorinha Martins, natural de São Torcato. Foram pais de João Martins.

3. VIOLANTE DE ABREU. Nascida por volta de 1530. Filha de Salvador Gonçalves e Joana da Silva.

Casada com FRANCISCO FONTES, falecido por volta de 1632. Senhor do Casal do Outeiro (Levado):
Francisco Fontes e Violante de Abreu, casal cuja descendência difundiu o apelido Abreu por toda esta região, e através a emigração, pelos quatro cantos do mundo. Violante de Abreu era filha de Salvador Gonçalves e de sua mulher Joana da Silva. Desconhecemos qual dos pais de Violante carregava o apelido. Vejo o casamento em S. Martinho de Candoso, em 1749, de Domingos de Abreu Dias filho de Antonio Dias e Domingas de Abreu. Apontei também o nascimento do dito Domingos de Abreu em 1720, pensando talvez na altura que pudesse se tratar do nosso. Tenho o nascimento da primeira Maria Dias de Abreu em 1671, em S. Martinho de Candoso, em Pige ( ?). Não apontei o padrinho. A madrinha foi Maria Dias do Rebolo. Nos meus confusos apontamentos sobre os Abreus do Rebolo e do Outeiro, freguesia de Candoso, vejo por exemplo o casamento em 1616 de Domingos Dias do Rebolo com Maria de Abreu, e um André Dias herdeiro em 1622 de sua mulher Maria de Abreu do Rebolo.Volto à impressão por enquanto bem leve de que deve haver ligação entre os Dias de Abreu estudados, oriundos afinal de S. Martinho de Candoso e os Abreus do Outeiro, também de Candoso, descendentes de Francisco Fontes (m. 1632) e mulher, Violante de Abreu (m.1599), família ja um pouco estudada por Adelaide Pereira de Moraes, em trabalho sobre as origens do historiador Alberto Sampaio. Provavelmente tratada em outros trabalhos da mesma autora. O dito casal é origem da numerosa, interessante e complexa família Ribeiro Bernardes, de Guimarães, já evocada no fórum... Areias movediças. A única conclusão é que vai ser necessário um regresso às fontes.
Gratos cumprimentos

Carlos Silva
Geneall. Net


Nas pesquisas que fiz em Candoso, encontrei como tronco comum dos Abreus a família a que faz referência, Francisco da Fonte e Violante de Abreu. Mais, a sua filha Ana de Abreu casou com Manuel Fernandes irmão de Bernardo Fernandes da Casa da Portela, pais de Pedro de Abreu ou Pedro Fernandes de Abreu. De momento não tenho os dados à mão, mas creio que a Ana, além do Francisco de Abreu casado com Apolônia Luís, tinha ainda uma irmã de nome Isabel de Abreu que casou com Gregório Fernandes. Sei que o Francisco de Abreu, sucessor no Casal do Outeiro, também teve filhos ilegítimos, pelo que não será de excluir a hipótese de o Domingos ser um deles. Outro Francisco de Abreu lhe foi coevo mas residia, salvo erro, na Batoca casado com Maria Vaz

Rui Faria
Universidade do Minho

Foram Pais de:
3.1 Francisco de Abreu. Nascido por volta de 1610. Falecido em 1673. Senhor do Casal do Outeiro. Sei que o Francisco de Abreu, sucessor no Casal do Outeiro, também teve filhos ilegítimos, pelo que não será de excluir a hipótese de o Domingos ser um deles. Outro Francisco de Abreu lhe foi coevo, mas residia, salvo erro, na Batoca casado com Maria Vaz (Rui Faria) Casado com Dona Apolônia Luís, falecida em 1659. Com Geração.

3.2 Maria de Abreu, que segue.

3.3 Ana de Abreu. Casada com Manuel Fernandes, irmão de Bernardo Fernandes, da Casa da Portela. Com Geração.

3.4 Isabel de Abreu. Casada com Gregório Fernandes.
4. MARIA DE ABREU. Batizada em 9 de Novembro de 1583, no Casal do Outeiro, Candoso (São Martinho), Guimarães. Falecida em 8 de Outubro de 1622, no Casal do Reboto, Candoso (São Martinho), Guimarães.

Casada, em 18 de Abril de 1616, com ANDRÉ DIAS, em 1ªs Núpcias dele. Batizado em 19 de Março de 1581, no Casal do Reboto, Candoso (São Martinho), Guimarães. Falecido em 3 de Setembro de 1652, no mesmo lugar. (Registro de Batismo: AMAP: Misto 1, Candoso - São Martinho, Paroquial n.º 181, fl. 4, n.º 4. Registro de Óbito: [1] AMAP: Misto 3, Candoso (São Martinho), Paroquial n.º 183, fl. 66 v., n.º 1. Recebeu todos os sacramentos, dele constou mandar sepultar-se dentro da igreja, teve o primeiro ofício com nove lições e oferta costumada de 150 reis, o mesmo se fez ao mês e ao ano).
Filho de Antonio Pires e de Ana Dias. Neto materno de Dona Maria Dias.
Foram Pais de:

4.1 Francisco de Abreu. Batizado em 11 de Novembro de 1615, no Casal do Reboto, Candoso (São Martinho), Guimarães. Registro de Batismo: (Padrinhos: Francisco de Abreu e Catarina do Outeiro).

4.2 Catarina Dias, que segue.

ANDRÉ DIAS foi casado, em 2ª Núpcias, por volta de 1624, com Margarida Lopes, falecida em 10 de Maio de 1621, no Casal do Reboto, Candoso (São Martinho), Guimarães. Foram Pais de:

4.3 Maria. Batizada em 9 de Maio de 1626, no Casal do Reboto, Candoso (São Martinho), Guimarães. Registro de Batismo: Padrinhos: João de Abreu e Apolônia Luís do Outeiro.

ANDRÉ DIAS foi casado, em 3ª Núpcias, por volta de 1627, com Antónia Fernandes. Foram Pais de:

4.4 Apolônia. Batizada em 30 de Janeiro de 1628, no Casal do Reboto, Candoso (São Martinho), Guimarães.
Registro de Batismo: Padrinhos: Francisco de Abreu do Outeiro e Maria Fernandes do casal da Cruz, freguesia de Santo Estevão de Barrosas.

4.5 Domingos. Batizada em 15 de Abril de 1630, no Casal do Reboto, Candoso (São Martinho), Guimarães. Registro de Batismo: Padrinhos: Amaro Gonçalves e Maria Fernandes do Reboto.

4.6 Antonio Dias. Batizado em 5 de Outubro de 1631, no Casal do Reboto, Candoso (São Martinho), Guimarães. Registro de Batismo: Padrinhos: Pedro de Abreu do Outeiro e Ana Duarte do Reboto.

4.7 João Dias. Batizado em 21 de Outubro de 1635, no Casal do Reboto, Candoso (São Martinho), Guimarães. Falecido em 21 de Agosto de 1656. (Registro de Batismo: Padrinhos: Salvador Gonçalves alfaiate de Bugalhos e Maria Vaz da Batoca desta freguesia. Registro de Óbito: AMAP: Misto 3, Candoso (São Martinho), Paroquial n.º 183, fl. 70, n.º 2. Recebeu todos os sacramentos. Tinha a legítima que lhe ficou por morte de seu pai que seria de 15 mil reis. Fez-se lhe o primeiro ofício com dez padres e nove lições, o segundo ofício com oito padres).

5. CATARINA DIAS casada com COSME GONÇALVES, Patriarcas da 4ª Geração da Família Dias, descritos no Título Dias, da Vila de Guimarães.

A Descendência do casal Francisco Fontes e de Dona Violante de Abreu foi extraída do trabalho "Árvore de Costados de Frutuoso Dias" pesquisa de Rui Faria, da Universidade do Minho, a mim ofertada como presente de Natal, em 2009.

Os acréscimos de Carlos Silva foram extraídos do Fórum de Genealogia Geneall. Net.


Pesquisa
Rui Faria
Universidade do Minho

Nenhum comentário:

Postar um comentário