quarta-feira, 21 de julho de 2010

BORGES MONTEIRO - Rio de Janeiro

DESCENDÊNCIA
Pais de José Borges Monteiro
Avós de Albino Borges Monteiro
Bisavós de América Borges Monteiro
Terceiros Avos de Zélia Borges de Gouvêa
Quartos Avós de Maria Stella de Gouvêa Nunes
Quintos Avós de Anamaria Nunes Vieira Ferreira

1. MANOEL BORGES MONTEIRO. Nascido por volta de 1750, natural da Freguesia de São Martinho da Guarda, do Bispado do Porto.

Filho de Caetano Borges e Joana Monteiro, naturais de São Martinho da Guarda, Portugal.

Casado por volta de 1770, no Porto, em Portugal com Dona MARIA VAZ, nascida por volta de 1750. Natural da Freguesia de São Martinho da Guarda, do Bispado do Porto. Foram Pais de:

1.1 José Joaquim Borges Monteiro. Na dúvida. Comerciante de Brinquedos. Em 1844 era Proprietário da uma loja na Rua da Quitando, 26 e 27, em 1846, era dono de Armarinho (Almanak Laemmert - 1844, à Página 237, e 1846, à Página 287) Casado com Dona Bernarda Francisca Rodrigues, nascida em 25 de Outubro de 1788 e falecida em 14 de Junho de 1849. Com Geração.


1.2 José Borges Monteiro, que segue.

2. JOSÉ BORGES MONTEIRO. Capitão de Milícias. Natural e batizado na Freguesia de São Martinho da Guarda, do Bispado do Porto. Nascido em 1785, segundo o Family Search. Falecido em 30 de Janeiro de 1863, no Rio de Janeiro. Está sepultado no Cemitério da Penitência (Colégio Brasileiro de Genealogia - Ana Carolina Nunes)

Para o Dr. Luiz Corrêa de Azevedo, era a família do Dr. Cândido honestíssima e de poucos meios. José Borges Monteiro era comerciante segundo a elegia feita pelo Dr. Luiz Corrêa de Azevedo para o seu filho, Cândido Borges Monteiro, que narra que o mesmo trabalhou como caixeiro na casa de negócios de seu pai para custear os estudos. Em 1812 morava em uma casa no Beco das Cancellas, onde nasceu o seu ilustre filho Dr. Cândido Borges Monteiro.

Em Busca de uma Escrava: Requerimento do Capitão José Borges Monteiro ao Intendente Geral da Polícia solicitando portaria para busca e apreensão de uma sua escrava açoitada em um sítio no Saco de Jurujuba. Rio de Janeiro, c. 1825 (Anais, 1984, Volume 104, (1), Página 96, Ref. 666 – 11-34, 24, II n.5)

Fez doação para que Vicente Simoni publicasse o livro "Ramalhete Poético do Parnaso" (página 114). Seu filho Cândido Borges Monteiro também assinou as doações.

Em lista publicada em O Investigador Portuguez, em Dezembro de 1817, encontramos na relação das pessoas que entregaram no Real Erário Donativos Gratuitos: José Borges Monteiro: 12,000.

Casado, em 1809, na Capela do Divino Espírito Santo de Mataporcos (Candelária, Livro 8º, fls. 303 - extraviado) com Dona GERTRUDES MARIA DA CONCEIÇÃO, nascida em 1793, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 18º, ?). Falecida em 15 de Outubro de 1845 (Candelária, Livro 16º, Fls. 74v) (Colégio Brasileiro de Genealogia - Ana Carolina Nunes)


Filha do Sargento Mor João Antonio Teixeira e Josefa Maria Cândida.

Na Certidão de Casamento de sua filha Maria Cândida da Conceição com Luis Ayres Teixeira, é citada como Gertrudes Maria de Ierey:

(...) filha legítima do Capitam José Borges Monteiro e D. Gertrudes Maria de Ierey (...)

Pensionista do Império com pensão anual de 57%600, em 1858, e de 75$000, em 1866.

Foram Pais de:

1.1 Josefa Maria Cândida. Nascida em 29 de Maio de 1810, no Rio de Janeiro
(Candelária, Livro 10º, Fls. 51v)

1.2 Maria Cândida da Conceição. Nascida em 14 de Julho de 1811, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 10º, Fls. 51v.) Casada, em 26 de Outubro de 1833, com Luis Ayres Teixeira (Candelária, Livro 9º, Fls. 183v), natural e batizado na Freguesia de Santa Isabel, em Lisboa, filho do Sargento Mor Francisco José Teixeira de Negreiros e de Dona Brizita Ignácia Luiza. Como Luis Ayres Teixeira foi inventariado em 1845, na Vara de Órfãos, acreditamos que tenham tido Geração.

1.3 Cândido Borges Monteiro. Barão e Visconde com honras de grandeza de Itaúna com Carta de Brasão de Armas. Comendador da Imperial Ordem de Cristo. Cavaleiro da Imperial Ordem da Rosa. Condecorado com honras de Oficial Mor. Grã-Cruz de Nossa Senhora da Conceição Vila Viçosa de Portugal. Comendador da Coroa de Ferro da Áustria. Comendador da Ordem Ducal Ernestina da Saxônia. Grã-Cruz da Ordem de Cristo de Portugal. Oficial-Mor da Casa Imperial do Conselho de Sua Majestade. Médico Privativo da Princesa Isabel e de Dona Leopoldina. Médico da Imperial Câmara. Médico de Dom Pedro I e Dom Pedro II.

Fato Histórico: Trouxe à luz a Princesa Isabel, no parto da Imperatriz Dona Teresa Cristina. Trouxe à luz quatro filhos da Princesa Isabel.

Fez a 1ª viagem com a Família Imperial acompanhando a Imperatriz Dona Leopoldina e o Duque de Saxe, sendo nomeado em sua volta Barão de Itaúna. Em 1871, faz a 2ª viagem à Europa com o Imperador e a Imperatriz, sendo nomeado Visconde de Itaúna. Com a convivência tornou-se amigo de Dom Pedro II.

Ministro do Império da pasta de Agricultura, Comércio e Obras Públicas no 25º Gabinete de 1871, gestão de 7 de março de 1871 a 20 de abril de 1872, cargo em que faleceu.

Vereador - 1848 a 1851. Deputado Geral - 1853 a 1853 e de 1854 a 1856. Senador - 1857 a 1872.

Em 27 de Agosto de 1868 foi nomeado o 35o Presidente da Província de São Paulo. Nascido em 12 de Outubro de 1812, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 10º, Fls.87). Falecido em 25 de Agosto de 1872, no Rio de Janeiro.

Elegia: Foi homenageado com o discurso pronunciado perante o Imperador na Academia Imperial de Medicina em 30 de Junho de 1873 sobre Cândido Borges Monteiro por Dr. Luiz Correa de Azevedo.

Casado, em 23 de março de 1833, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 9º, Fls. 179) com Dona Joana Borges do Nascimento, Viscondessa com Honras de Grandeza de Itaúna, filha de Francisco José Vicente e de Ana Maria do Espírito Santo, nascida e falecida no Rio de Janeiro em 16 de junho de 1896. Com grande Geração.

1.4 José Borges Monteiro Filho. Comerciante. Nascido em 20 de Janeiro de 1815, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 10º, Fls. 152v). Falecido em 1 de Dezembro de 1855 (São José, Livro 6º, Fls. 71). Está sepultado no Cemitério São João Batista. Casado, em 25 de Fevereiro de 1843, no Rio de Janeiro (São José, Liv. 5º, 105) com Dona Joana Maria Mazzioti, nascida em Icaraí, Niterói, filha de Carlos Mazzioti. Com Geração.

1.5 Martiniana Felicidade dos Anjos. Nascida em 16 de Outubro de 1816, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 10º, Fls. 189v). Casada, em 7 de Dezembro de 1839, com João Pimenta Bastos
(Candelária, Livro 9º, Fls. 14v).

1.6 Ilydia Maria Cândida Borges Monteiro. Baronesa da Lagoa. Nascida em 19 de Maio de 1818, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 10º, Fls. 225).

O Título de Baronesa: foi assim citada em documento do Anuário Genealógico, de Salvador Moya ao se referir a uma de suas filhas com os dizeres: "... filha dos Barões da Lagoa."

Casada, em 28 de Novembro de 1835, com Bernardo Casimiro de Freitas, 1º Barão da Lagoa (Candelária, Livro 9º, Fls. 187v). Com Geração.

1.7 Carlota Maria Monteiro. Nascida em 4 de Novembro de 1819, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 11º, Fls. 10v). Casada, em 1ª Núpcias, em 28 de Abril de 1838, com Antonio Casemiro de Freitas (Candelária, Livro 9º,?), irmão de Bernardo Casimiro de Freitas, o Barão da Lagoa. Casada, em 2ª Núpcias, em 20 de Maio de 1843, com seu cunhado Luis Aires Teixeira, viúvo de sua irmã, Dona Maria Cândida da Conceição (Sacramento, Livro 7º, Fls.30)

1.8 Albelina Borges Monteiro. Nascida em 24 de Abril de 1821, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 11º, Fls.40). Falecida em 8 de Dezembro de 1889, no Rio de Janeiro.

1.9 Florisbela Borges Monteiro. Nascida em 20 de Junho de 1823, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 11º, Fls. 86)

1.10 Geraldina Borges Monteiro. Nascida em 30 de Agosto de 1824, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 11º, Fls. 107v). Falecida em por volta de 21 de Dezembro de 1881.


Convite para Missa de 7º Dia:
Jornal do Commércio - Dr. Luiz da Silva Brandão e sua senhora Carolina Augusta Borges Brandão convidam para a Missa de 7º dia da sua... (ilegível) Geraldina Borges Monteiro, em 28 de Dezembro de 1881, em São Cristóvão
Pesquisa de Guilherme Serra Alves Pereira

1.11 Francisco Borges Monteiro. Nascido em 31 de Janeiro de 1826, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 11º, Fls. 136v). Falecido em 26 de Dezembro de 1827, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 11º, Fls. 150).

1.12 Rosalinda Borges Monteiro. Nascida em 29 de Maio de 1827, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 11º, Fls. 166). Falecida em 20 de Junho de 1882, em Niterói.

1.13 Balbina Borges Monteiro. Nascida em 26 de Setembro de 1828, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 11º, Fls. 201). Casada, em 11 de Fevereiro de 1849, no Rio de Janeiro com Antonio de Almeida (Candelária, Livro 10º, Fls. 110).

1.14 Carlos Borges Monteiro. Nascido em 25 de Maio de 1831, no Rio de Janeiro.
(Candelária 11º, 262v)

1.15 Luís Borges Monteiro. Nascido em 28 de Fevereiro de 1834, no Rio de Janeiro. (Candelária 11º, 311) Batizado em 19 de Maio de 1834, em São Gonçalo. Falecido em 7 de Novembro de 1835, no Rio de Janeiro (Candelária 15º, 227).

1.16 Albino Borges Monteiro, que segue.

3. ALBINO BORGES MONTEIRO. 1º Oficial da Secretaria de Negócios da Marinha. Nascido em 1835, no Rio de Janeiro (Candelária, Livro 11º, Fls. 341). Falecido em 3 de Outubro de 1919. Está sepultado no Cemitério São João Batista, em Botafogo (Colégio Brasileiro de Genealogia - Ana Carolina Nunes)

Almanaque da Marinha - 1860
Admitido aos trabalhos da Secretaria de Estado de Negócios da Marinha em 19 de Janeiro de 1854. Amanuense por nomeação de 19 de Fevereiro de 1959, Segundo Oficial por decreto de 30 de Junho de 1863. Rua da Conceição, 19, em Nichteroy. Almanaque da Marinha de 1865: Admitido aos trabalhos da Secretaria de Estado de Negócios da Marinha em 19 de Janeiro de 1854, Amanuense por nomeação de 19 de Fevereiro de 1959. Segundo Oficial por decreto de 30 de Junho de 1863. Morada: Rua da Rainha, em Nictheroy. Almanaque da Marinha de 1879: Quando nomeado 1o Oficial, por decreto de 12 de Janeiro de 1872. Morada: Rua do Príncipe, em Nictheroy. Livro de Assentamento de Ocorrências dos Aspirantes de 1847 a 1857: Em 18 de Fevereiro de 1852 foi admitido como Aspirante à Companhia e a Academia como Aluno Externo, em Aviso desta data. Aspirante a Guarda Marinha, em virtude do disposto no Artigo 7o. dos Estatutos de 19 de Fevereiro de 1849 foi matriculado pela segunda vez no 1o. Ano Matemático e apresenta como Aluno Externo por despacho do Sr. Comandante da Academia de Marinha de 23 de Fevereiro de 1853, em 1o. de Março do corrente ano
(Microfilme 176, Seção E, folha 57, Seção B, Folha 48v)
Ana Carolina Nunes

As Prisões: Segundo sua bisneta Maria Célia, foi Dona Maria Joana quem tirou o marido Albino da Marinha, pedindo ao seu cunhado, Visconde de Itaúna, que o transferisse para o serviço burocrático da Secretaria de Estado dos Negócios da Marinha, onde ele ficou a vida toda. Fez bem Dona Maria Joana, caso contrário teria levado algum navio a pique, considerando a falta de vocação de Albino para a Marinha. São inúmeras as prisões que sofreu por falta e indisciplina.

As mudanças de residência eram freqüentes, mas, ao que tudo indica, a do Rio de Janeiro para Niterói, parece ter ocorrido entre os anos de 1856 e 1859, como aparece à pagina 3 do Guia do Rio de Janeiro, do Almanak Laemmert, que cita Albino Borges Monteiro como residente à Rua El Rey, 22, Niterói.

Segundo sua neta, Dona Neuza Borges Monteiro, ainda viva, aos 92 anos, morando em São Paulo, depois de enviuvar, Albino morou no Rio de Janeiro com a filha Abigail.

Após a morte de Albino e o casamento de sua filha Zezé, Abigail mudou-se com toda a família para São Paulo.

Casado, em 19 de Julho de 1862, em Niterói (Livro 2º, fls. 181), em casa de Henriqueta Maria Galhardo, com Dona MARIA JOANA GALHARDO DAS NEVES. Nascida por volta de 1840, no Rio de Janeiro. Falecida em 20 de Março de 1914, em Niterói. (Colégio Brasileiro de Genealogia - Pesquisa de Ana Carolina Nunes)

Os seus avós, José Maria de Sousa Galhardo e Oliveira e Maria Francisca Romana vieram para o Brasil com a Corte Portuguesa, em 1808. Dona Maria Francisca Romana, Aia de S. M. a Imperatriz, era afilhada de batismo de Dona Maria I, a Louca e de D. João VI. O seu pai, o Marechal de Campo João Francisco das Neves também veio com a Corte Portuguesa, e se casou no Rio de Janeiro com Dona Maria Isabel Galhardo.
Filha do Marechal de Campo João Francisco das Neves e Maria Isabel Galhardo. Neta paterna de Antonio Francisco. Neta materna de José Maria de Souza Galhardo e Oliveira e Maria Francisca Romana. Bisneta materna de Felix Francisco Ferreira Fortes e Antonia Joaquina Rosa. Bisneta materna de Henrique José Maria de Souza Galhardo e Vicência Rita Maria Xavier do Amor Divino e Oliveira. Terceira neta materna de Carlos Antonio de Souza e Catharina Rosa da Purificação e Azevedo Galhardo. Terceira neta materna de Manoel da Costa e Oliveira e Rita Joaquina. Terceira neta materna de Manuel Ferreira e Anna Maria. Terceira neta materna de Joaquim Alves e Joaquina Maria. Quarta neta materna de Antonio Francisco e Josefa Maria. Quarta neta materna de Gil Álvares de Azevedo e Maria Thereza Galhardo. Quinta neta materna de Francisco Álvares e Francisca Simoa. Quinta neta materna Estevão Galhardo e Páscoa Maria Machado. Sexta neta materna de Matias Garcia e Maria Galhardo. Sexta neta materna de João Rodrigues e Marta Machado.

Segundo sua neta, Dona Neuza Borges Monteiro, Dona Joana era diabética, mas não resistia ao “angu de quitandeiro” que comprava e comia escondido e, ao comer, dizia:


“Eu perdôo o mal que me faz pelo bem que me sabe!”.

Foram Pais de:

1.1 América Borges Monteiro, que segue.

1.2 Ataliba Borges Monteiro. Banqueiro. Casado com Albertina Tomayer, de apelido Neném. Sem Geração.

1.3 Alzira Borges Monteiro. De apelido Ziloca. Casada, em 1ª Núpcias, com Rodrigo Silva. Com Geração. Casada, em 2ª Núpcias, com Kuelhas. Com Geração (Depoimento de Neuza Borges Monteiro).

1.4 Aderbal Borges Monteiro. Funcionário da Estrada de Ferro. Fundação do Clube Internacional:

A data da fundação foi 14 de Maio de 1889, mas a inauguração das instalações de sua primeira sede, à rua Marquês de Paraná, só teve lugar no dia 7 de Dezembro do mesmo ano. O jornalista de “O Fluminense”, embora ainda não dispusesse como atualmente de uma coluna social bem montada, cumpriu admiravelmente a sua missão, informando a seus leitores os nomes dos colunáveis de então: “Misses Castro, Bernardino de Carvalho, Queiroz, Faro, Goulart, Grimsditck..., e os gentlemen Coronel Romão de Castro e família, ... Adherbal Borges Monteiro... Vimos ricas e chics toilletes. O serviço de buffet foi muito bem feito, notando-se em tudo muita ordem e abundância. A imprensa estava quase toda representada (...)".
Niterói, ontem e anteontem
Carlos Wehrs

Casado com Dona Hilda Meyer. Com Geração.

1.5 Abigail Borges Monteiro. Casada com o português Jacinto Moreira Garcia. Com Geração.

1.6 Albino Borges Monteiro Jr. De apelido Bininho. Vereador em Pindamonhangaba. Nascido em 13 de Junho de 1876, em Niterói. Falecido em 4 de Fevereiro de 1960, em São Paulo. Vereador em Pindamonhangaba, participou da Fundação da Escola de Farmácia e Odontologia. Casado, em 11 de Junho de 1908, com Dona Maria Guiomar Machado, nascida em 11 de Junho de 1888, em Pindamonhangaba, falecida em 6 de Fevereiro de 1937, em São Paulo, filha de José Cândido Machado e de Dona Maria Bráulia Salgado. Com Geração.

4. AMÉRICA BORGES MONTEIRO casada com Dr. MANOEL TORQUATO DE GOUVÊA, Patriarcas da Família Borges de Gouvêa.

Depoimento:
Neuza Borges Monteiro, Guardiã da Memória da Família.
Aos 93 anos, moradora em São Paulo, filha de Albino Borges Monteiro Jr. e de Dona Maria Guiomar Machado, em 2004.

Agradecimentos
Ao primo Cláudio Fortes que me apresentou a Dona Neuza.
A Pedro Auler pelas importantes informações sobre o Visconde de Itaúna.

Pesquisa
Colégio Brasileiro de Genealogia
Cúria Metropolitana
Arquivo Nacional
Biblioteca Nacional
Ana Carolina Nunes


Almanak Laemnert
Arquivo Ultramarino
Torre do Tombo
Documentos da Família
Anamaria Nunes


Jornal O Paiz
Jornal do Comércio
Guilherme Serra Alves Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário